ArtesCulturaHistória

De visita à Casa-Museu Medeiros e Almeida e à SNBA

Junho, dia 17. Uma soalheira manhã de Sábado levou um grupo de felizardos nesta viagem pelo coração da Casa-Museu Medeiros e Almeida e da Sociedade Nacional de Belas Artes (SNBA), ambas em Lisboa. Duas visitas guiadas, duas lições de história. E se na primeira pela mão da Drª Conceição Coelho, na segunda pelo vice-presidente da SNBA, presidente da mesa da AG da Associação Cultural A Voz de Paço de Arcos e pintor, Jaime Silva. Ambas imperdíveis e ambas a contarem parte da história e dos meandros de locais tão distintos, no entanto tão próximos, não só geograficamente, mas igualmente pela estreita ligação ao mundo das artes.

Organizada pela Associação A Voz de Paço de Arcos, a visita teve como ponto de encontro a rua Rosa Araújo, em Lisboa, de onde se deu partida para esta manhã cultural. Duas horas voaram na Casa-Museu Medeiros e Almeida, tal o prazer e interesse que a longa, mas resumida, história da casa, do acervo de obras de arte e dos seus ilustres ex-habitantes, a todos proporcionaram.

Um intervalo para uma refeição leve, mas retemperadora, na Cinemateca e era hora de rumar à SNBA. À espera do grupo, que, entretanto, crescera, estava o anfitrião, Jaime Silva, que, simpaticamente, acedeu a guiar-nos por esta casa que tão bem conhece. Dadas as boas-vindas, passou-se então à descoberta do espaço desta que é a associação artística mais antiga e representativa de Portugal. E se a associação em si foi fundada em 1901, já esta sua sede, desenhada pelo Arq. Álvaro Machado, foi inaugurada mais tarde, em 1913. A mesma que hoje nos mereceu uma visita guiada pelo seu grande Salão de 50m por 15m, único na península ibérica, mas também por todo o restante recheio que a compõe, dedicado não só às exposições mais inovadoras, e em permanente renovação, mas também aos cursos de formação artística que proporciona aos novos públicos, dos 12 aos 100 anos!

E assim se passou um excelente Sábado, com aquela agradável sensação de barriga cheia! Claramente a contrapor aqueles que dizem que o saber não ocupa lugar.

Quantas estrelas esse artigo merece?

Classificação média 0 / 5. Votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a classificar esse artigo

Como você achou este artigo útil ...

Partilhe-o nas redes sociais

Lamentamos que este artigo não lhe tenha sido útil

Ajude-nos a melhora-lo!

Diga-nos como podemos fazê-lo.

Quer receber as nossas notícias em primeira mão?

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

Miguel Teixeira

Mais de 30 anos de experiência no mundo da comunicação, especificamente nas funções de criativo, estratega e redactor publicitário. Vasto percurso por algumas das mais marcantes agências de comunicação nacionais e multinacionais, quer como elemento integrante dos seus departamentos criativos quer como freelancer. Escritor e autor de várias obras literárias, quer na área da narrativa de ficção quer no campo da poesia. Artista na área da colagem com vasta obra realizada, parte da qual já exposta individualmente ou em colectivas.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Usamos cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site.