Monitorização de organismos gelatinosos

O Município de Oeiras contribui para a monitorização dos organismos gelatinosos (predominantemente, as alforrecas) que habitam as águas que banham as praias do Concelho. Esta monitorização indica o aparecimento destes organismos ao Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que dinamiza o ‘Programa GelAVista’ e que trata exclusivamente estes organismos, e à Capitania do Porto de Lisboa, de forma a promover medidas de prevenção adequadas neste tipo de ocorrências.

O ‘Programa GelAVista’ disponibiliza uma aplicação gratuita, denominada GelAvista, onde qualquer cidadão poderá disponibilizar fotos para registo e monitorização nas águas portuguesas.

Durante os meses de setembro e outubro, regista-se um pico de abundância dos organismos gelatinosos, podendo o seu aparecimento prolongar-se para os meses de novembro e dezembro, devido à temperatura da água estar acima do valor médio para está época e por preferirem habitar águas calmas e costeiras.

Os organismos gelatinosos, que devido a estas circunstâncias, podem aparecer com mais frequência nas praias de Oeiras, são removidos quer por ações de limpeza manuais ou mecânicas, que se realizam numa base diária durante todo ano, de forma a eliminar a sua presença nos areais. 

Para saber mais consulte GelAvista – IPMA

Fonte: Câmara Municipal de Oeiras 

Quantas estrelas esse artigo merece?

Classificação média 0 / 5. Votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a classificar esse artigo

Como você achou este artigo útil ...

Partilhe-o nas redes sociais

Lamentamos que este artigo não lhe tenha sido.

Ajude-nos a melhora-lo!

Diga-nos como podemos fazê-lo.

close

Quer receber as nossas notícias em primeira mão?

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

Rui Veiga

Da primária ao secundário, nas escolas da Vila, da Ginástica no CDPA à Natação e ao Polo Aquático na piscina da Escola Náutica, muito aprendi nesta terra onde vivo. Hoje com formação em História de Arte e Desenho, abracei o desafio da Voz de Paço de Arcos, de ajudar a manter um jornalismo cívico, público, de contato próximo e comunitário.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    Usamos cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site.