Poesia

Aos Que Pedem Chuva

Facebook
Twitter

Mário Matta e Silva – 06 de Fevereiro de 2022

A seca é um mal que faz ranger os dentes

É um verdadeiro desordenamento

Uma constante de um só lamento

Que traz consigo as rezas de crentes.

O sol nos bafeja, oh, triste ironia

Todos pedem chuva nuns dias tão bons

As nuvens vão altas de azulados tons

É róseo e calmo o nascer do dia.

Com a água faltando, arriscam-se as colheitas

As barragens tornam-se imperfeitas

Os rios vão escassos, sem grande fulgor

Os agricultores sussurram suas ladainhas

Na falta de pastos morrem as cabrinhas

E os pastores sofrem invernos de dor.

Quantas estrelas esse artigo merece?

Classificação média 0 / 5. Votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a classificar esse artigo

Como você achou este artigo útil ...

Partilhe-o nas redes sociais

Lamentamos que este artigo não lhe tenha sido.

Ajude-nos a melhora-lo!

Diga-nos como podemos fazê-lo.

close

Quer receber as nossas notícias em primeira mão?

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

Mais Por Explorar

Jornal A Voz de Paço de Arcos. Imagem cabeçalho tema poesia

Aos Que Pedem Chuva

Mário Matta e Silva – 06 de Fevereiro de 2022 A seca é um mal que faz ranger os dentes É um

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.