Poesia

À Beira-Mar…

Facebook
Twitter
Ainda tenho a gaivota
que passeava na praia, indiferente,
nos longes dessa tarde de verão…

De asas erguidas
seguia à beira-mar, atarefada
quando a captaste numa foto
que me deste 
e ainda guardo, emoldurada.

Olho essa imagem e recuo
até àquela praia, tarde amena
onde tudo começara…

O coração tremia
e nada mais recordo, nem o beijo
mas tão só a emoção que me tolhia.

Poema e Ilustração de Maria de Lurdes Godinho

Quantas estrelas esse artigo merece?

Classificação média 0 / 5. Votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a classificar esse artigo

Como você achou este artigo útil ...

Partilhe-o nas redes sociais

Lamentamos que este artigo não lhe tenha sido.

Ajude-nos a melhora-lo!

Diga-nos como podemos fazê-lo.

close

Quer receber as nossas notícias em primeira mão?

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

Mais Por Explorar

À Beira-Mar…

Ainda tenho a gaivota que passeava na praia, indiferente, nos longes dessa tarde de verão… De asas erguidas seguia à beira-mar, atarefada

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.